Agradar ao parceiro é o que todo mundo quer, mas isso não significa que você deve passar por cima da sua autoestima e dos seus planos

relacionamento-duradouro

 

Bem lá no fundo, o que (quase) todo mundo quer mesmo é viver um amor. Uma história de parceria, um romance, gostar e ser gostado. Isso porque mesmo a autossuficiência e o prazer de estar sozinho não suprem todas as necessidades amorosas.

E no vai e vem da vida, sempre acaba aparecendo alguém legal que dá vontade de manter por perto e viver um relacionamento. Mas na ânsia de atingir o objetivo, e na tentativa de equilibrar as expectativas que cada um cria do outro, às vezes pode-se permitir certas mudanças ou atitudes que vão além do indicado.
Quem é que pensa em individualidade quando está apaixonado? O impulso inicial é ser a pessoa dos sonhos da outra para se aproveitar mais os momentos juntos e agarrar de vez partido. Mas tudo deve ter limites. Para que sua vida não saia do caminho, para que sua personalidade se mantenha intacta, para que suas outras relações familiares e amigáveis continuem de forma saudável, é preciso firmeza para manter sua vida no rumo certo.

Será que você está exagerando nas concessões? Confira algumas atitudes comuns que muitas vezes são confundidas com atos de amor, mas que na verdade podem ser apenas demonstrações de falta de amor próprio:

 

relacionamento-de-acordo-com-cada-signo-horoscopo-astral-10

 

1. Abandonar seus amigos e familiares

É comum que quem esteja apaixonado ou namorando queira priorizar os momentos a dois e agradar o outro estando à disposição. Esse é um grave erro que muita gente comete. O círculo social é tão importante para nossa saúde emocional quanto o amoroso e o familiar. Uma coisa não precisa excluir a outra e muitas vezes perdemos pessoas importantes das nossas vidas por perceber isso tarde demais.

2. Viver a vida da pessoa

Nunca anule a sua vida pessoal, seus sonhos e planos para acompanhar a vida do seu amor. Cumplicidade e apoio mútuo são fundamentais para qualquer relacionamento. Mas viver apenas a vida do outro e perder sua identidade é muito perigoso para sua autoestima, além de provavelmente decepcionar quem se apaixonou pela pessoa você era antes.

3. Permitir desrespeito

Todos são passíveis de cometer erros quando com raiva, ciúme ou outros sentimentos que mesmo sendo repreensíveis também são humanos. Faz parte de um relacionamento saber equilibrar os acertos e deslizes dos outros – não é possível encontrar alguém sem imperfeições. Alguns erros e certos atos que consideramos desrespeito são inevitáveis. Mas tudo tem limites e você deverá saber os seus em relação ao seu parceiro. Deixar pra lá atitudes que te incomodam ou te ofendem não ajuda a manter a relação, pelo contrário, apenas contribui para a formação de uma bola de neve que pode te esmagar ou até mesmo legitimar o comportamento inadequado. Respeite e imponha seus limites.

4. Deixar de cumprir seus compromissos

Depois que começa um envolvimento, principalmente no início, a pessoa apaixonada pode ter uma tendência de faltar ou adiar seus compromissos para passar mais tempo com o outro, acompanhá-lo em outras ocasiões ou porque ele pede sua companhia. Por mais que dê vontade de ficar grudado ou de agradar ao outro, anular os outros aspectos da sua vida é completamente desaconselhável. Não saia do seu caminho, nada garante que esse investimento terá bons resultados e você poderá se decepcionar consigo mesma se algo sair errado.

5. Mudar seu corpo ou sua aparência

A não ser que a mudança já fosse importante para você, nunca mude seu estilo, seu cabelo ou seu corpo apenas pelo desejo de outra pessoa. Você deve ser a soberana do seu corpo, não dando a ninguém o direito de mudá-lo. Uma pessoa deve se aproximar de você pelo que você já é e não pelo que ela imagina que poderá ser.

6. Fazer planos importantes para o futuro que dependam do outro

Por mais que tenha a certeza de que um relacionamento será para sempre, você jamais terá a garantia de que isso se realize. A criação de planos e expectativas que envolvam outras pessoas devem levar duas coisas principais em consideração: Em primeiro lugar, se o outro sabe desses planos e realmente se mostrou interessado e disponível. Ou também se aceitou apenas para não criar problemas.

Em segundo lugar que, mesmo planos duradouros e bem programados podem não ter o resultado esperado e será preciso conviver com as consequências. Parceria é o que todos esperam de um relacionamento e que deve ser buscado a dois. Mas para isso é preciso ter uma relação firme e estável, um tempo mínimo de convivência para realmente saber o que se pode esperar do outro.

7. Aceitar comportamento que você acha inadequado

Cada um tem seu jeito e também não é possível pretender mudar o comportamento de uma pessoa. Mas às vezes podemos nos decepcionar com pessoas que conhecemos ainda superficialmente. Se você não concorda com as atitudes do seu companheiro é necessário deixar claro a divergência de opiniões entre vocês e não incentivar ou ignorar tais problemas.

8. Deixar de fazer seus programas

Perder festas, viagens com os amigos, celebrações da família, eventos importantes de trabalho, aniversários… Pode até acontecer no afã do início de um relacionamento. As pessoas sabem e compreendem, mas até certo ponto. Essa prática contínua não é saudável para suas relações com os amigos, para você mesma nem para o seu relacionamento amoroso. Provavelmente você irá se arrepender depois de ter perdidos tantos momentos importantes e as consequências em seus laços amigáveis podem ser irrecuperáveis.

9. Largar sua carreira

Em relacionamentos longos ou casamentos, muitos casais decidem juntos que apenas um será o provedor da casa, normalmente para que a mulher cuide das crianças e da vida privada da família. Sim, muitas pessoas estabelecem essa relação em acordo mútuo e em algumas ocasiões da vida isso pode até ser necessário, como os primeiros meses de vida de um bebê.

Mesmo que essa situação te pareça confortável, pense bem em como você acha que vai se sentir sem atividades e sendo dependente financeiramente de outra pessoa. De preferência, mantenha-se em movimento profissional, mesmo que seja por um período menor. Sua autoestima e sentimento de pertencimento à sociedade são muito dependentes dessa atividade.

10. Fazer uma tatuagem

Tem pessoas que se empolgam na demonstração de afeto e chegam ao ponto de fazer uma tatuagem com o nome do amado ou algo do tipo. Exemplos não faltam de que essa declaração de amor não é uma boa ideia. Existem infinitas formas de marcar o coração de uma pessoa e elas não precisam envolver marcas eternas no seu corpo. Retirar uma tatuagem costuma ser mais caro e mais doloroso do que fazê-la.

AS MULHERES NA VISÃO DE UM HOMEM.

DOVE - Real Beauty Campaign Casting Call

Não importa o quanto pesa.
É fascinante tocar, abraçar e acariciar o corpo de uma mulher.
Saber seu peso não nos proporciona nenhuma emoção.
Não temos a menor ideia de qual seja seu manequim.
Nossa avaliação se dá de outra forma,
isso quer dizer: se tem forma de guitarra… está bem.

Não nos importa quanto medem em centímetros, é uma questão de proporções, não de medidas.
As proporções ideais do corpo de uma mulher são: curvilíneas e carnudas.
Essa classe de corpo que, sem dúvida, se nota numa fração de segundo.
As magrinhas que desfilam nas passarelas, seguem a tendência desenhada
por estilistas que, diga-se de passagem, parecem odiar as mulheres e com elas competem.
Suas modas são retas e sem formas.

A maquiagem foi inventada para que as mulheres a usem. Usem!
Para andar de cara lavada, basta a nossa.
As saias foram inventadas para mostrar suas magníficas pernas…
Se a natureza lhes deu estas formas curvilíneas, foi por alguma razão e eu reitero: nós gostamos assim.
Ocultar essas formas é como ter o melhor sofá embalado no sótão.

É essa a lei da natureza… que todo aquele que se casa com uma modelo magra, anoréxica, bulêmica e nervosa logo procura uma amante cheinha,
simpática, tranqüila e cheia de saúde.

As jovens são lindas… mas as de 30 para cima, são verdadeiros pratos fortes.
Por tantas delas somos capazes de atravessar o atlântico a nado.
O corpo muda… cresce, não da de entrar, sem ficar psicótica,no mesmo vestido que usava aos 18.
Uma mulher de 45, que entra na roupa que usou aos 18 anos, ou tem problemas de desenvolvimento ou está se auto-destruindo.

Nós gostamos das mulheres que sabem conduzir sua vida
com equilíbrio e sabem controlar sua tendência a culpas.
Ou seja, aquela que, quando tem que comer,come com vontade
(a dieta virá em setembro, não antes); quando tem que fazer dieta,
faz dieta com vontade (não se saboteia e não sofre);quando tem que ter intimidade com o parceiro, tem com vontade; quando tem que comprar algo que gosta, compra; quando tem que economizar, economiza.

ALGUMAS LINHAS NO ROSTO, ALGUMAS CICATRIZES NO VENTRE, ALGUMAS MARCAS DE ESTRIAS NÃO LHES TIRA A BELEZA.
SÃO TESTEMUNHAS DE QUE FIZERAM ALGO EM SUAS VIDAS,
não tiveram anos em formol, nem em spa… VIVERAM!

mulheres-c6a8

Texto de Paulo Coelho

O que faz uma Mulher ser Maravilhosa, Poderosa , Sensual….Uma DEUSA??

Não é o corpo “perfeito”, não é a roupa “da moda”, nem mesmo são os acessórios. Não é o manequim 38, a sobrancelha milimetricamente aparada, a falta de ruguinhas de expressão, nem o silicone.
O que faz uma mulher ser sensual é a sua personalidade, seu charme, seu carisma.
Ela pode até ser baixinha perto das outras mulheres ou às vezes ter o cabelo mais crespo que a maioria….O que importa? Afinal quando ela sorri…o mundo parece girar mais devagar.
Pode ser que ela tenha um corpo mais cheinho ou que use óculos. Qual o problema? Ninguém repara nisso quando ela dança daquele jeitinho na balada e dá um show.
Pode ser que ela já tenha passado bem dos 40 ou que tenha várias tatuagens. Quem liga? Quando ela olha com seus olhos cheios de promessas, deixa qualquer homem fora do prumo.
Ela pode ser do tipo “comum” ou fazer o tipo exótico….
O que faz uma mulher ser sensual é a forma como ela anda, é o seu jeito de falar, a maneira como coloca o cabelo pra trás da orelha….e o fato dela ser ÚNICA. E por isso mesmo impossível de se copiar.
Ser sensual é fugir dos padrões e seguir o seu próprio estilo. Se amando, se respeitando, se valorizando, se cuidando e não aceitando ser espremida dentro de um clichê, nem abdicando de suas características pessoais para ficar dentro do óbvio.
A sensualidade aflora justamente quando aprendemos a usar aquilo que a natureza nos deu.
Você não precisa agradar a todos. Precisa sim ser feliz!
E quando entender que o que eu disse acima é a mais pura verdade, vai descobrir que para cada tipo de mulher, existe um homem de VERDADE que vai te achar incrível, justamente por você ser assim….tão você mesma!
Nós te ajudamos a se tornar uma DEUSA! Entre em contato e participe de nosso Workshop dia 12/11.

O elemento Fogo

Por Sandra Perin – astróloga
O fogo representa a luz da inteligência, da intuição, da espiritualidade, é energia radiante, fonte de calor, luz e expansão. Num plano positivista o elemento fogo confere ao nativo gosto por esportes, maior direcionamento, alegria e energia.

É também um elemento do tipo quente e seco. Exatamente como sua expressão na natureza, os indivíduos que tem ênfase nesse elemento são exuberantes, ardentes, apaixonados, brilhantes e esquentados. Sua energia vital flui espontaneamente, surgindo de uma forma dinâmica, criativa e voluntariosa.

Capaz de inspirar, conduzir e apoiar os outros, é aí que se encontra todo o seu carisma. Possuem uma fé inabalável na generosidade do destino, jogando com a vida, dinheiro e emoções muitas vezes de uma forma irrefletida, sem avaliar as consequências dos seus atos.

Tem o hábito de exagerar em seu comportamento, dramatizando situações mesmo quando sozinhos, e que precisam deste colorido e das suas fantasias para se sentirem vivos. Se por ventura entram em contato com a monotonia da vida, são capazes de entrar em pânico.

No seu lado sombrio, o fogo é por demais auto-centrado, tornando-se insensível à condição do outro, o orgulho e a vaidade dificultam em muito o reconhecimento dos seus erros e frustrações.

Esse elemento confere aos signos de Áries (luta), Leão (brilho) e Sagitário (filosofia): criatividade, vontade, energia, inspiração, iluminação interior, entusiasmo, impulsividade, atitudes menos pensadas, respeito, praticidade, ambição, inteligência, intelectualidade e ação.

Na magia, quando se quer atingir a elevação espiritual, acende-se uma vela para as salamandras, senhoras do fogo, pois são elas que levam o nosso recado ao reino angelical.

O excesso de fogo confere ao nativo capacidade de conseguir atingir tudo o que está à sua volta, mostra também uma pessoa muito afetiva, mas para poder tomar uma decisão, precisa se acalmar e colocar as ideias em ordem; procure ter mais tranquilidade.

A falta de fogo implica em carência de brilho e um desequilíbrio da identidade.

O elemento Terra

Por Sandra Perin – astróloga

O elemento terra traz a estabilidade, a praticidade e o contato com a realidade. É o oposto do céu e está associado à força feminina e a tudo o que é misterioso. Representa o concreto, o real e em muitas culturas, relaciona-se à “Grande Mãe”, fonte dos alimentos e da vida.

A terra representa o mundo material e objetivo, com temperamento frio e seco e com característica coesiva. É comum aos indivíduos deste elemento um contato estreito com os sentidos físicos e com a realidade material. Seu universo precisa de direção e utilidade, pois tem um forte senso de dever.

A natureza construtiva dos signos de terra, é direcionada para a praticidade: ocupam-se com tudo aquilo que é tangível, pragmático e sólido. Seu enfoque básico é a funcionalidade das coisas. Norteado pelas sensações, deixa as considerações teóricas e intuições para segundo plano. Esta atitude acaba por restringi-los, pois lhes dá uma visão estreita, presa ao mundo das formas, o que anula qualquer outra maneira de compreensão da realidade. Por serem cautelosos, tudo o que empreendem é minuciosamente calculado e organizado. São dignos de confiança, amantes da ordem e precisão.

O tipo terra sente-se à vontade com o seu corpo, sabendo expressar sem dificuldades seus desejos físicos. O difícil para estes signos é manter separados os sentimentos dos processos corporais, perdendo muito da sua intimidade psíquica. Esta é uma característica que só existe nestes signos, isto é, a inclusão do corpo em quase toda a experiência psíquica.

Sua medida de valor baseia-se no grau de rendimentos que se traduz materialmente, seja sobre a forma de posses ou da consideração geral. Com isso tornam-se muitas vezes escravo de uma rotina maçante, tendo medo de perder os pés do chão.

Este elemento confere aos signos de Touro, Virgem e Capricórnio: persistência, durabilidade, paciência, realismo, praticidade, materialização, dinheiro, o poupar e a realização.

Na magia, quando se busca acentuar o lado prático e explorar a prosperidade, é costume oferecer uma pedra ou uma maçã aos gnomos, os senhores da terra, ou duendes, pois eles estão neste elemento e ajudam a conseguir dinheiro e bens materiais.

O excesso de terra em um tema provoca materialismo, preguiça, rotina, rigidez, frieza, irritação, solidão, ambição; e o excesso de ordem atrapalham um pouco a sensibilidade e a criatividade. Se solte mais e desperte seus sentimentos profundos.

Representação: A Terra, o inverno, a cor marrom.
Plano de Vida: Ação, densidade, eu faço, eu realizo, eu somatizo.